8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas

http://alagoasboreal.com.br/noticia/3387/diversao-e-arte/–bienal-internacional-do-livro–homenageara-200-anos-de-emancipacao-de-alagoas

Bienal Internacional do Livro’ homenageará 200 anos de emancipação de Alagoas
Maior evento literário do Estado acontecerá entre os dias 29 de setembro e 8 de outubro, no centro cultural e de exposições Ruth Cardoso; orçamento é de pouco mais de R$ 1 milhão
Carol Sanches/ Divulgação

” title=”Bienal acontece pela oitava vez em Alagoas | Carol Sanches/ Divulgação”>Bienal acontece pela oitava vez em Alagoas

Da Redação do Alagoas Boreal

Previamente aprovada pela câmara administrativa do Conselho Universitário (o Consuni), a oitava edição da “Bienal Internacional do Livro de Alagoas” já tem data e local confirmados. O maior evento literário do Estado será realizado entre os dias 29 de setembro e 8 de outubro, no centro cultural e de exposições Ruth Cardoso, no Jaraguá. Na segunda-feira (6), o Consuni aprovou o projeto dessa edição, assim como a identidade visual.

Com orçamento de pouco mais de R$ 1 milhão, a bienal terá fundos captados pela Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes), junto a parcerias. “Queremos manter a bienal com o menor comprometimento dos recursos da universidade, já que estamos com orçamento bastante reduzido. Em outros estados, as bienais são realizadas pelo mercado livreiro. Essa Bienal mantida por uma universidade é uma característica bem particular de Alagoas”, destaca o professor e diretor da Editora da Ufal, Osvaldo Maciel, em informativo enviado à Redação.

Identidade visual da edição remete páginas de livros ao formato do mapa do Estado

O tema desta edição será os 200 anos de emancipação política de Alagoas. O evento já foi inserido na programação comemorativa oficial do Estado. Quem assina a identidade visual da edição é a programadora visual Camila Fialho. “Os elementos têm força visual presentes nos folguedos e no artesanato. O formato faz referência ao mapa de Alagoas desconstruído, sem delimitação de fronteiras. O fitilho colorido, que tem movimento próprio, foi usado como uma metáfora para a semente do conhecimento que abraçará e envolverá a sociedade alagoana por meio da bienal”, explica.