Secult lança edital para registro de novos mestres do Patrimônio Vivo

O Governo de Alagoas, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), lançou um novo edital para Registro do Patrimônio Vivo de Alagoas. Nesta edição, serão preenchidas duas vagas destinadas para representantes da cultura popular do Estado. As inscrições podem ser feitas até o dia 04 de maio.

O edital reconhecerá como Patrimônio Vivo do Estado da Alagoas mestre e mestras que detenham os conhecimentos ou as técnicas necessárias para a produção e para a preservação de aspectos da cultura tradicional ou popular de uma comunidade estabelecida em Alagoas nas áreas de danças e folguedos da cultura popular, literatura oral e/ou escrita, gastronomia, música, artes cênicas, artesanato, dentre outras.

“O Registro do Patrimônio Vivo dá o devido reconhecimento aos mestres e mestras que tem como projeto de vida a transmissão de conhecimentos e costumes para as novas gerações”, disse a secretária de Estado da Cultura, Mellina Freitas.

Será considerado apto a receber o registro de Patrimônio Vivo brasileiro residente em Alagoas há 20 anos, que tenha participação comprovada em atividades culturais no mesmo período e esteja capacitado a transmitir seus conhecimentos ou suas técnicas à sociedade, de forma presencial ou por intermédio dos mais diversos meios de comunicação.

Uma comissão especial, composta por pessoas de notório saber e reputação ilibada na área cultural específica, irá analisar e avaliar os candidatos, segundo os critérios definidos no edital.

Os candidatos devem se inscrever através de um formulário padrão disponível no portal da Secult e entregá-lo devidamente preenchido no setor de Protocolo da Secult, de segunda a sexta, das 09h às 14h, ou enviar pelos Correios, por A.R. ou Sedex. O edital completo e documentos necessários estão disponibilizados no endereço eletrônico www.cultura.al.gov.br.

A dotação orçamentária vigente faz parte do Programa de Concessão de Bolsas para Mestres da Cultura, dentro do orçamento do Fundo de Desenvolvimento de Ações Culturais de Alagoas.

Fonte: Secult AL / Daniel Borges